[Análise] Guitar Hero: Metallica chegou para torturar seus dedos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Análise] Guitar Hero: Metallica chegou para torturar seus dedos

Mensagem por sikapan em Sab 25 Abr 2009 - 16:58

Guitar Hero: Metallica chegou para torturar seus dedos

Lembra quando você caia morto no sofá depois de estraçalhar seus dedos para terminar “One” em Guitar Hero II? Do solo infernal de Enter Sandman em Rock Band? E mesmo assim você insistia junto aos fãs de jogos musicais que o Metallica deveria ter seu próprio jogo? Pois é, agora aguenta. Mais do que somente mais um na série, Guitar Hero: Metallica chega para testar definitivamente o quão rápido você pode movimentar seus dedos, suas pernas, suas mãos e cantar como verdadeiro astro do rock.









O novo Guitar Hero é um jogo musical exclusivamente dedicado ao Metallica que permite a utilização de todos os instrumentos. AC/DC Live: Rock Band também já fez isso, mas praticamente não conta, afinal era basicamente um track pack com as músicas ao vivo da banda. Aqui não; eles aparecem, dão um show, exibem palcos fenomenais e fizeram questão de dar toques para que o jogo ficasse com a cara da banda.

A idéia do Guitar Hero: Metallica surgiu quando os filhos de Lars Ulrich (baterista) e James Hetfield (vocalista) vieram perguntar sobre Deep Purple, Black Sabbath entre outras bandas para eles. Quando Lars perguntou como elas tomaram conhecimento dessas bandas, a resposta foi “pelo Guitar Hero, papi”. Através da percepção de que a nova geração estava aprendendo sobre música boa das antigas, além de muito, muito, muito dinheiro, eles decidiram topar a idéia de fazer seu próprio Guitar Hero e deixar milhões de fãs felizes.









Ao começar no modo carreira, o jogador escolhe seu instrumento (ou instrumentos, já que é possível fazer o modo carreira com mais de uma pessoa) e começa sua jornada. Você não será o próprio Metallica no jogo, mas sim uma banda de fãs que segue todos os passos de seus ídolos para tentar ser como eles. Por isso que durante as músicas você jogará com um dos personagens fixos ou com algum criado por você mesmo. A criação dos personagens é a mesma do :Guitar Hero: World Tour, você escolhe tudo, desde peso e altura até ao design da tatuagem que seu roqueiro irá usar, se isso fizer seu estilo, claro.

No entanto, quando a música que você for tocar é de autoria do Metallica, os caras assumem o palco, e aí é um show a parte. Quem é fã da banda sabe que durante algumas músicas, eles possuem movimentos de assinatura que marcam a performance. Como quando James Hetfield grita furiosamente “master” fora do microfone em “Master of Puppets”, quando o baixista Robert Trujillo roda loucamente com seu instrumento em “Ride the Lightning” ou quando Lars espanca os tambores da bateria em pé. Tudo isso está presente no jogo. Apesar de jogar com os músicos na atual forma física deles, é possível destravar a banda quando eles eram cabeludos e andavam com a cara fechada o tempo inteiro.











A banda realizou diversas sessões de captura de movimento. Todas as ações foram tão detalhadas, que até as tranças do baixista tinham sensores. Em termos de animação, este Guitar Hero supera qualquer outro. As expressões estão muito bem feitas, principalmente quando você repara nas letras cantadas pro James, onde ele canta todas as sílabas com perfeição. Se você reparar nos movimentos do baterista então, vai ficar de queixo caído.

Os movimentos de Lars Ulrich estão tão fiéis, mas tão fiéis que pra ser fiel de verdade, o jogo teve que ganhar um pedal de bateria a mais e uma nova categoria chamada expert plus. Na nova modalidade você precisa de um segundo pedal para conseguir tocar igual ao baterista. Juro. O acessório adicional não é obrigatório, mas boa sorte se você quiser testar a resistência do seu pedal com diversos toques brutais em seqüência, além da sua habilidade de tocar uma música de bumbo duplo, com um só. Neste caso, umas aulas de sapateado devem ajudar. Não são todas as músicas que possuem a nova modalidade ignorante, somente as que estiverem com um ícone de caveira zangada pegando fogo no set list. Sério.









O baixo também ganhou uma nova novidade novíssima. Agora aparece uma linha horizontal na esteira de notas, onde o jogador precisa palhetar sem estar segurando nenhuma nota, como se a corda estivesse solta. Falando assim parece fácil, mas largar as notas e depois voltar confunde um pouco no começo. A guitarra continua com a mesma jogabilidade: solos impossíveis de sangrar os dedos e jogar o controle na parede no expert, porém no hard os mais experientes irão achar mais tranqüilo se compararem ao Guitar Hero III.

No entanto, Guitar Hero: Metallica foi claramente feito para ser o maior desafio para os jogadores. Nada impede de você chamar seus amigos e jogar “Nothing Else Matters” no medium enquanto eles acendem isqueiros na platéia para acompanhar a música, mas o intuito aqui é: se você quiser músicas difíceis, pode vir quente que o jogo está fervendo.










O modo carreira também pode ser feito online, assim como em Guitar Hero: World Tour e além dessa modalidade, o jogador pode tocar quickplay online ou com os amigos na sala. Uma novidade que muitos irão gostar, é que todas as músicas já estão abertas na lista e não é necessário terminar o joga para abrir uma a uma. Até que faz sentido. Imagine quantos fãs furiosos de Metallica que nunca jogaram Guitar Hero não iriam quebrar tudo se descobrissem que para cantar “One” você precisa fazer uma pequena historinha. Enfim, essa novidade também agrada muito aos fãs da série, que podem curtir de cara músicas impossíveis sem ter que falhar miseravelmente em outras tantas para chegar a ela.

Falando nas músicas, nenhum fã da banda pode reclamar da seleção do jogo. Entre as 49 canções, 21 são do Metallica e de diversos álbuns da banda. As principais canções vem acompanhadas de cenários de palcos incríveis que marcaram as principais apresentações e fases dos rock stars. Outras bandas famosas que inspiraram e tocaram com eles estão presentes no jogo, sendo que Lemmy, vocalista e baixista do Motorhead e King Diamond, vocalista do Mercyful Fate, aparecem como personagens destraváveis no jogo. Eles também tiveram seus movimentos digitalmente capturados.










Além do multiplayer oferecer os modos “Face Off”, onde os jogadores disputam pela maior pontuação em uma música e podem escolher diferentes níveis de dificuldade, “Pro Face Off” onde os níveis dos jogadores precisa ser o mesmo, um grande sucesso de Guitar Hero III está de volta: o “Battle Mode”. Ao tocar notas marcadas, como as notas de star power que aparecem com estrelas em volta, você acumula diferentes poderes que atrapalham seu oponente ao serem ativados. Você pode estourar uma das cordas da guitarra, forçando seu amigo a tocar o botão certo até ela funcionar, estourar o amplificador fazendo com que a tela pisque por alguns segundos, entre mais alguns truques sujos. Uma pequena modificação foi feita, ao invés de somente um, agora é possível acumular até três poderes diferentes e solta-los ao mesmo tempo na tela do seu adversário. Diabolicamente divertido.

É possível tocar online com até duas bandas completas disputando uma contra a outra, assim como em Guitar Hero: World Tour. O GH Tunes continua disponível, o usuário pode baixar e criar novas músicas utilizando o estúdio.

Na tela do jogo também apareceu uma novidade muito significativa, agora é possível ver seu progresso na busca por 5 estrelas como acontece em Rock Band. Conforme o jogador vai tocando, um pequeno ícone a direita, que também marca quantas notas em sequência você acerta, vai preenchendo uma barrinha. Se você completar quase tudo, sua performance será 5 estrelas.










Talvez uma das únicas reclamações é que somente o conteúdo de download do próprio Metallica são compatíveis com o jogo, então todas as outras músicas que você baixou e não são da banda, não estarão no setlist. Mas quem precisa daquelas músicas fáceis que nem dão bolhas nos dedos, não é mesmo? Outra pequena coisa chata é que para completar o tutorial da bateria você precisa ter a bateria do Guitar Hero: World Tour que dá suporte para os dois pedais. Todos os instrumentos do Rock Band são compatíveis, mas se você não tiver a original do jogo, ficará com um achievement /trophie a menos por não ter terminado o tutorial.

Se você cansar e quiser dar uma pausa para os dedos, nos extras estão disponíveis vídeos da banda nos bastidores do jogo realizando seções de captura de movimento. Que fã não iria gostar de ver isso? Além disso, alguns vídeos de shows ao vivo e pequenos documentários sobre a banda também estão incluídos para o deleite dos metaleiros.









Com animações fantásticas, um excelente repertório do Metallica e músicas impossíveis no expert, mas “tocáveis” em outros níveis, Guitar Hero: Metallica é um jogo que irá deixar muitos fãs satisfeitos. É notável que muito esforço foi colocado para que os jogadores realmente encontrassem um grande desafio e ao mesmo tempo encontrassem material o suficiente da banda para deixar qualquer seguidor maravilhado.

A receita da série continua, é um jogo musical onde a base é a mesma, mas no que deu para inovar e aperfeiçoar, o jogo deu conta. Um novo pedal, a volta do “Battle Mode”, muito material extra e as melhores gráficas em termos de personagem já vistos na série. Então coloque suas calças pretas, algumas correntes e vista sua camiseta de caveira e detone.

Por: GameTV

_________________
Meus garotos!!!
=> Next
avatar
sikapan
Administrador
Administrador

Masculino
Número de Mensagens : 1318
Idade : 36
Localização : Rio de Janeiro - RJ
Emprego/lazer : Analista
Humor : Paulo Ricardo
Data de inscrição : 24/01/2008

Ver perfil do usuário http://portallpp.ativoforum.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum